was successfully added to your cart.

Carrinho

Artigo

LEIA POUCO

By 1 semana atrás One Comment

Para os chamados “amantes da leitura”, esse título parece um acinte. E é justamente para estes que eu escrevo neste momento.

Meu querido amigo Maurício Costa, um dos fundadores do Movimento Brasil Conservador, escreveu em sua conta no Twitter uma frase de Arthur Schopenhauer, que dizia: “Como as pessoas leem sempre, em vez dos melhores de todos os tempos, apenas a última novidade, os escritores permanecem no círculo estreito das ideias que circulam, e a época afunda cada vez mais em sua própria lama.”

Eu sempre falo em minhas redes que devemos estudar, ler; mas algumas pessoas dizem: “Sim, eu leio, sou apaixonado pela leitura.” É aí que mora o perigo.

Os “amantes da leitura”, embora entusiasmados, cometem um “pecado”: leem tudo. E quando falo tudo, é tudo mesmo; sem disciplina, sem ordenamento, sem uma lista de prioridades. A “paixão” pela leitura faz com que estes leiam qualquer porcaria que se apresente e façam uma verdadeira salada mista com auto-ajuda, religião, política (SEMPRE social fabiana), contos eroticos e Paulo Coelho. Imagine como fica a mente de alguém que absorve tudo isso!

Em seu livro “A vida intelectual”, o padre Antonin-Dalmace Sertillanges diz: “Leia pouco!”. Mas, como funciona isso?

Primeiro ele explica o quão é nocivo o desejo incontrolável de ler: “A ‘paixão’ pela leitura, que muitos honram como uma preciosa qualidade intelectual, é na verdade uma tara; não difere em nada das outras paixões que devoram a alma, trazem-lhe perturbações, lançam e entrecruzam nela confusas correntes e esgotam suas forças.”

Talvez você: “Ah, mas não tem nada a ver. Eu leio muito. Melhor ler do que pensar bobagem..”

A Bíblia diz: “Examine, pois, o homem a si mesmo…”. Preste atenção no que tem lido. Faça uma retrospectiva de suas leituras dos últimos seis meses. O que você realmente aprendeu? Qual foi a mudança que aquilo trouxe para a sua vida?

Sertillanges explica as consequências do “vício” pela leitura: “A leitura desordenada entorpece o espírito, não o alimenta; torna-o pouco a ppuco incapaz de reflexão e de concentração, e por conseguinte, de produção.”

Segundo o neurologista Paulo Bertolucci, professor da Escola Paulista de Medicina da Unifesp, O que interfere na memória não é o volume de dados acumulado no decorrer da vida, mas a avalanche de informações recebidas diariamente, que afetam a nossa concentração. “Se você não tem atenção, não tem como memorizar. A atenção é um pré-requisito para a memória.”

A paixão, em qualquer situação, nos torna cegos, incapazes de enxergar a realidade. Com a leitura não seria diferente.

Embora Sertillanges tivesse dito para lermos pouco, ele não trata da quantidade, mas da qualidade. Observem:

“Não aconselho reduzir as leituras indiscriminadamente: tudo o que precede protestaria contra essa interpretação. Queremos formar um espírito amplo, preaticar a ciência comparada, manter o horizonte aberto à nossa frente: isso não se faz sem muita leitura. MAS muito e pouco só se opõem no mesmo terreno. Absolutamente, é preciso muito, porque a obra é vasta; relativamente, pouco, dado o dilúvio de escritos com que hoje a mejor especialidade abarrota as bibliotecas e as almas.”

Ele complementa dizendo: “Temos que ler inteligentemente, e não apaixonadamente.”. Este é o segredo para uma leitura de qualidade.

Não é a quantidade de livros que lemos que nos faz intelectuais, mas sim ler aquilo que será útil para a nossa vida moral, social e espiritual.

Fonte: @Danielly_Jesus

mafinha

Sobre mafinha

Conhecido troll de internet odiado por todos os esquerdistas e petistas. Na verdade apenas um libertário católico e pai de família indignado com a antiga hegemonia da esquerda.

One Comment

  • Jonathan disse:

    Esse é um tópico que as pessoas comentam raramente, mas é importante frisar.
    É importante ler, mas tem que filtrar tudo aquilo que for ler, ler por ler não ajuda
    Antes ler uns 3 livros construtivos que vão agregar algo na sua vida do que ler 50 e ser um alienado como esses esquerdistas que se acham detentores do conhecimento por lerem lixo e acharem que arrasam.
    Excelente artigo.

Leave a Reply